A partir do momento em que os carpetes são instalados – dependendo dos cuidados -, imediatamente, começam a acumular detritos e a reter partículas poluentes transportadas pelo ar, em maior ou menor grau. Fato!

Isso sem contar com os inevitáveis derramamentos, que mesmo superficialmente limpos acabam depositados no fundo do revestimento.

É claro que a aspiração e a remoção instantânea de manchas realizadas pela equipe de limpeza melhoram a aparência dos carpetes. Mas, apenas aspiradores e removedores não conseguem penetrar profundamente nas fibras e remover os resíduos.

A única maneira de limpar e manter a vida útil do carpete é com um programa especializado e profissional. Mas o que é melhor? Optar pela limpeza a seco ou pela lavagem?

Embora o mercado ofereça ambos os sistemas, a limpeza a seco apresenta vantagens que os gestores devem avaliar.

Lavar não é necessariamente limpar

Vamos lá.

O carpete é um têxtil, ou seja, um tecido. Como a maioria dos tecidos, o carpete coleta e absorve desde a poeira e alérgenos, até líquidos. Você não pode colocar um carpete na máquina de lavar, como uma peça de vestuário, mas se pudesse, o resultado seria o mesmo. Inicialmente a água e os detergentes retirariam a sujeira e as manchas, mas a repetição do processo, levaria ao desbotamento, desgaste e, eventualmente, ao encolhimento – este, logo na primeira lavagem.

Exatamente por isso, deve-se ao máximo evitar a lavagem de carpetes. Os danos e o desgaste prematuro podem levar à necessidade de substituição do revestimento. Faça as contas: trocar o carpete de um espaço de 3000 m² pode custar em média R$ 510 mil. Pesado, não?

Falando sobre aparência. A lavagem com água encharca as fibras do carpete e se mistura com a sujeira, fazendo uma espécie de lama líquida. Embora, os aspiradores de alta potência, teoricamente, tenham a capacidade de sugar toda essa mistura, isso nem sempre ocorre. O que resta, geralmente, na parte mais profunda do revestimento, acaba subindo à superfície, dando ao carpete uma aparência irregular ou ligeiramente manchada.

Mas o pior são os possíveis efeitos à saúde. O carpete úmido, além de mau odor – aquele famoso “cheiro de cachorro molhado” – é terreno fértil para a proliferação de mofo e bactérias, que comprometem a qualidade do ar interno e a saúde das pessoas.

Limpeza e higienização

A limpeza a seco pelo sistema milliCare elimina todos os problemas da lavagem de carpetes e, ainda, oferece imenso ganho de agilidade e contribui para eficiência energética e qualidade do ar interno.

Nosso sistema exclusivo e patenteado utiliza o polímero – uma partícula sintética, com aparência de pó – que espalhado uniformemente sobre o carpete atrai e retém a sujidade como um imã. Quando aspirado, o polímero é completamente retirado trazendo consigo todos os detritos.

O resultado é uma limpeza impecável e uniforme, sem danos às fibras. Mais ainda, sem o perigo do reaparecimento de eventuais manchas, mofo e bactérias que contaminam o ar interno.

Todo o processo praticamente não requer tempo de inatividade nos espaços, o que é uma grande vantagem, particularmente, para empreendimentos de funcionamento ininterrupto. Não deixa, também, odores remanescentes de produtos químicos ou detergentes.

E, contribuímos para economia de recursos: nosso processo requer 99,5% menos água dos que os processos de lavagem tradicionais e 85% menos de energia. Nossos técnicos utilizam equipamentos portáteis que causam mínimo transtorno ao ambiente.

Manutenção não é despesa, é investimento nos seus ativos. Conheça o Plano Total de Cuidados milliCare, teremos prazer em avaliar as melhores opções para o seu espaço acarpetado.